Autores Maranhenses e Paraenses
A criatividade fala mais alto: valorização & divulgação das duas regiões
   Escritores Maranhenses e Paraenses      Romance Burburinho Perene
 Publicado em 03/2016


ALUSÃO um romance Lindo, Belo, Polêmico, Maravilhoso! Uma multidão entre a multidão dos acompanhantes do círio amam o romance ALUSÃO, e o restante da multidão dos que não deixam a procissão do círio de lado não morrem de amores pelo romance ALUSÃO, eles apenas o amam, mas eles fazem restrições e o criticam com todas as suas forças de beatos! Beato é beato em qualquer lugar: aqui e no mundo!

 

Os mistérios e as revelações estão deixando atordoados os evangélicos e o povo que acompanha o círio!

 

A beleza da história está na ficção dela mesma, quando passa muito próximo arranhando a realidade do mundo das religiões. O mundo delas é um mundo toldado, pois elas se enlameiam a cada dia que passa.

 

Lucilla decepcionada com as falcatruas de seu pai Adir Soleira decide encarnar por uns tempos a vida de noviça no Convento “Sublime Decoro” e lá, ela encontra: a Madre Superiora e o Bispo derrubado, Dom Consente Bebeto, sofrido e passando por punições.

Leia mais >>> >>>




PUTSAGRILA a Sanidade no Casulo, conta uma história genuinamente infantil, mas é um infantil adolescente, talvez um infantil adulto ou até mesmo um infantil idoso. PUTSAGRILA é tudo isso junto. É um mundo de criança, de adolescente e de idoso. Neste mundo diversificado vive o Zé Meu Vô, um velhinho simpático de sessenta anos de idade, rico de dinheiro, de poder e de imaginação. Ele praticamente pode tudo e faz tudo, recupera-se da depressão por saudade da mulher amada e começa a viver intensamente, respaldado pelo carinho, amor e dedicação da filha Hildenê, que carinhosamente encara a recuperação da sexualidade do pai, na esperança de fazê-lo feliz.

Leia mais >>> >>>



























 
DELEITE-SE COM A LEITURA DAS PÁGINAS INICIAIS 
DO ROMANCE 
BURBURINHO PERENE

Romance Burburinho Perene, a ditadura e o mundo universitário

 

Burburinho Perene é uma história de amor maravilhosa e é nela que o autor Edvan Brandão reafirma a sua imaginação surpreendente, quando conta com cuidado milimétrico uma paixão avassaladora entre um casal de jovens, que viveram dentro e fora da universidade com os terrores da ditadura. Ela, agente secreto do sistema de governo ditatorial, preparada para procurar, encontrar e matar terroristas e comunistas. Ele, envolvido por influências dos amigos se deixou levar até o recrutamento e o treinamento (praticados descaradamente pelos padres comunistas), para aderir ao comunismo; e sem querer transformou-se em uma futura vítima da mulher amada.

 

Burburinho Perene é a história escancarada do exato momento em que a DITADURA MILITAR ocorreu, no ponto crucial, no nascedouro da rebelião: os poderosos reunidos com outros poderosos justificando os seus medos de perderem o poder, associado com o receio indomável da possibilidade de que o Presidente sabidamente comunista pudesse entregar ou facilitar aos comunistas a invasão da Nação Brasileira. Considerando que o discurso do presidente em questão era genuinamente comunista, voltado para o encorajamento do comunismo que adentrava no país em determinada áreas empresariais paulatinamente.

 

Burburinho Perene adentra no mundo dos universitários, local em que os ditadores fizeram e desfizeram o que bem entenderam. Naquela época as universidades de ensinos superiores eram um ambiente cheio de emoção, privação e delação. Instituições estas que eram endeusadas por uma pequena minoria dos filhotes da sociedade acomodada que praticamente não viveram e não sofreram as agruras, e o desconforto de ser incomodados pelos ditadores que se apossaram dos assentos do palácio do planalto.  O outro lado da moeda, os filhos dos proletariados que frequentavam as salas da universidade; calçados com sandálias de dedo, transportados por ônibus velhos caindo aos pedaços, calças e camisetas jeans desbotadas pelo excesso de uso, sem condições financeiras de almoçar um prato de comida com o valor de cinquenta por cento subsidiados no restaurante universitário. Para as crias dos proletários, professores rebeldes e inconformados, a universidade federal como um todo, não valia nada. Talvez valesse menos que o excremento dos cavalos abandonados que perambulavam por suas dependências.

 

Burburinho Perene também chega próximo do bem e do mal, que a prostituição causa para a sociedade hipócrita, que insiste em não olhar da maneira correta para o comércio do sexo que é praticado desregradamente em todas as ruas e esquinas por onde ela passa. A cegueira da hipocrisia transforma as crianças e os adolescentes nos maiores prejudicados diante dos crimes de pedofilia. E por extensão, as meninas são violentadas e passam a conviver com a gravidez indesejada.

 

Burburinho Perene é um romance cheio de amor, paixão, aventura e revelações da ditadura que deixará o leitor embasbacado, sem saber se deve amar ou odiar os tempos perdidos que não voltarão jamais e que de forma alguma trarão os desaparecidos e muito menos os que morreram.

Os poderosos da cidade: o Valdevino Frade e o Marenilson Junqueira, com a mesma facilidade que eles mandavam matar, eles amavam e perdoavam os seus amores e seus filhos únicos, mas nada de perdão para quem não merecia. A influência dos dois vai levar o leitor a conhecer a cúpula do comando do regime militar, será um momento de desencantamento, talvez sim, talvez não.

 

Burburinho Perene vai mostrar muito mais do que isto: uma entrevista íntima com um dos Presidentes Ditadores e a exclusividade da leitura de um dos seus discursos.

 

Burburinho Perene mostra no bojo do seu encantamento a força e a beleza feminina da Lindinalva, Madame Benigna, Waléria, Clarisse, Tarcila e a poetisa Jocelina de quem o leitor terá a grata satisfação de conhecer a leveza, a maciez e a aspereza dos seus poemas revestidos de paixão.