Autores Maranhenses e Paraenses
A criatividade fala mais alto: valorização & divulgação das duas regiões
   Escritores Maranhenses e Paraenses      Romance Alusão
 

EDVAN DOS SANTOS BRANDÃO escritor maranhense radicado em Belém do Pará há mais de 45 anos, escreve os seus livros exclusivamente na linha da ficção, esta é a praia dele, mas ele se deixou levar e envolver-se pelo sentimento mais marcante no peito do paraense, que é: o círio! E resolveu homenagear sua terra por adoção escrevendo ALUSÃO um romance lindo, belo, maravilhoso! O único que chegou para dividir as opiniões do povo que acompanha o círio! Uma multidão entre a multidão dos acompanhantes do círio amam o romance ALUSÃO e o restante da multidão dos que não deixam a procissão do círio de lado não morrem de amores pelo romance ALUSÃO, eles amam o romance da maneira deles, admirando e criticando, era de se esperar que eles fizessem suas restrições e o criticassem com todas as  suas forças de beatos! Beato é beato em qualquer lugar: aqui e no mundo! Mas esses adoráveis beatos não ficaram sem ler ALUSÃO, e nem poderiam ficar, pois se não o lessem suas vidas de beatos (adoradores da Santa, Rainha do Círio e do Santo Bispo), ficariam incompletas. E beatos e beatas não praticam adoração pela metade, eles adoram por inteiro.

 

Alusão chegou para fazer história! E já está fazendo, é de longe o romance mais vendido no Pará!

 

É o primeiro romance que abordou o círio como pano de fundo da história de uma ficção de um jeito único criado por este escritor maravilhoso que não deixa em nenhum momento que o romance se pareça regional, aquelas histórias açucaradas que predominam na literatura paraense e maranhense como um todo!

 

É isto que o escritor é: uma mistura de maranhense com paraense se considerar-se que ele nasceu e viveu no Maranhão e mora há mais de 45 anos no Pará.

 

O livro ALUSÃO, sem querer e ao mesmo tempo querendo, tomando à dianteira, ele mesmo gritando na frente da torcida, já chegou para dividir as opiniões entre os católicos e os evangélicos, entre os de visões amplas e os de visões embaçadas. Está dividindo até mesmo velhos conceitos enraizados nas mentes daqueles que sabem ler, entender e valorizar um romance de verdade, pois ALUSÃO não é de fácil entendimento, embora, se pareça com uma simples história de rebeldia, mas ele é muito mais do que uma simples história que aponta o lado enlameado das religiões católicas e evangélicas seja em que tempo for: passado ou presente. De dia ou de noite, elas são todas iguais! Alguns dos fiéis em toda e qualquer religião carregam em seus corações a fé verdadeira, eles não possuem olhos ou sentimentos para outra coisa que não seja a fé na palavra de Deus! Enquanto outros! Preferem acreditar no poder do dinheiro!

 

A religião é assim: um pouco às claras e um pouco no escuro total! Não adianta falar e falar, só vai enxergar o lado escuro da religião os olhos que se acostumarem na escuridão sem se deixarem contaminar pelo atrativo do que está escondido no centro do breu oferecendo tentadoras vantagens de poder e riqueza!

 

ALUSÃO é um romance assim, complicado como a religião e para entendê-lo será necessário pelo menos uma pazada de conhecimentos, sem isto diga adeus ao entendimento da leitura!

 

ALUSÃO é a estreia de um novo modo de escrever histórias que se parecem regionais sem que sejam regionais: é o novo regionalismo! É isto que ALUSÃO é! O nascimento do novo regionalismo! É por isso que o romance é tudo isto.