Autores Maranhenses e Paraenses
A criatividade fala mais alto: valorização & divulgação das duas regiões
   Escritores Maranhenses e Paraenses      Edvan Brandão paraense de coração
 Atualizado em fevereiro de 2016


ALUSÃO um romance Lindo, Belo, Polêmico, Maravilhoso! Uma multidão entre a multidão dos acompanhantes do círio amam o romance ALUSÃO e o restante da multidão dos que não deixam a procissão do círio de lado não morrem de amores pelo romance ALUSÃO eles fazem restrições e o criticam com todas as suas forças de beatos! Beato é beato em qualquer lugar: aqui e no mundo!

 

Os mistérios e as revelações estão deixando atordoados os evangélicos e o povo que acompanha o círio!

 

A beleza da história está na ficção dela mesma, quando passa muito próximo arranhando a realidade do mundo das religiões. O mundo delas é um mundo toldado, pois elas se enlameiam a cada dia que passa.

 

Lucilla decepcionada com as falcatruas de seu pai Adir Soleira decide encarnar por uns tempos a vida de noviça no Convento “Sublime Decoro” e lá, ela encontra: a Madre Superiora e o Bispo derrubado, Dom Consente Bebeto, sofrido e passando por punições.

Leia 8 páginas do Romance Alusão... ...





PUTSAGRILA a Sanidade no Casulo , conta uma história genuinamente infantil, mas é um infantil adolescente, talvez um infantil adulto ou até mesmo um infantil idoso. PUTSAGRILA é tudo isso junto. É um mundo de criança, de adolescente e de idoso. Neste mundo diversificado vive o Zé Meu Vô, um velhinho simpático de sessenta anos de idade, rico de dinheiro, de poder e de imaginação. Ele praticamente pode tudo e faz tudo, recupera-se da depressão por saudade da mulher amada e começa a viver intensamente, respaldado pelo carinho, amor e dedicação da filha Hildenê, que carinhosamente encara a recuperação da sexualidade do pai, na esperança de fazê-lo feliz... ...






















































































































































EDVAN BRANDÃO escritor paraense de coração, por afinidade com tudo que é do Pará

 

A AMAZÔNIA É O QUE É SEM PÔR, SEM TIRAR. E O RESTO DO MUNDO NÃO FICA ATRÁS. Esta frase enigmática faz parte do maravilhoso desempenho criativo do autor que desafia a sensibilidade interpretativa dos seus adoráveis leitores do conto MAZELAS DE CABOCLOS TOLOS.

 

O escritor EDVAN DOS SANTOS BRANDÃO escreve os seus livros exclusivamente na linha da ficção, esta é a praia dele, mas ele se deixou levar e envolver-se pelo sentimento mais marcante no peito do paraense, que é: o círio! E resolveu homenagear sua terra por adoção escrevendo ALUSÃO um romance lindo, belo, maravilhoso! O único que chegou para dividir as opiniões do povo que acompanha o círio! Uma multidão entre a multidão dos acompanhantes do círio amam o romance ALUSÃO e o restante da multidão dos que não deixam a procissão do círio de lado não morrem de amores pelo romance ALUSÃO eles fazem restrições e o criticam com todas as suas forças de beatos! Beato é beato em qualquer lugar: aqui e no mundo!

 

Alusão chegou para fazer história.

 

É o primeiro romance que abordou o círio como pano de fundo da história de uma ficção de um jeito único criado por este escritor maravilhoso que não deixa em nenhum momento que o romance se pareça regional, aquelas histórias açucaradas que predominam na literatura paraense e maranhense como um todo!

 

É isto que o escritor é: uma mistura de maranhense com paraense se considerar-se que ele nasceu e viveu no Maranhão e mora há mais de 40 anos no Pará.







Edvan dos Santos Brandão, escritor paraense de coração, que fez do Pará a sua terra adotiva, em um determinado momento da sua vida — maiores detalhes deste momento referido serão conhecidos em um novo livro que o autor está escrevendo — por motivo de força maior, que englobou a mais veemente decisão de toda sua existência, ele mergulhou em uma alucinada pesquisa para verificar na própria pele até onde a sua revolucionária descoberta era genuinamente verdadeira!  A busca minuciosa, a vontade de conviver com o extraordinário achado, se arrastou por longos 15, mais precisamente 17 anos. Durante o percurso da averiguação da investigação que se arrastava lentamente aconteceram altos e baixos mais baixos do que altos na comprovação do resultado perseguido de modo duradouro.


Considerando a atualidade, o escritor EDVAN DOS SANTOS BRANDÃO aparece como sendo o maior entre os escritores ficcionistas do norte e nordeste, sem a intenção de desmerecer ou incomodar aqueles renomados escritores da inatualidade que cada um dos leitores assíduos conheceu em um passado distante, aquelas feras da literatura continuam com suas importâncias inalteradas de acordo com a grandeza da obra de cada um deles.

 

O livro ALUSÃO, sem querer e ao mesmo tempo querendo, tomando a dianteira, ele mesmo gritando na frente da torcida, já chegou para dividir as opiniões entre os católicos e os evangélicos, entre os de visões amplas e os de visões embaçadas. Está dividindo até mesmo velhos conceitos enraizados nas mentes daqueles que sabem ler, entender e valorizar um romance de verdade, pois ALUSÃO não é de fácil entendimento, embora, se pareça com uma simples história de rebeldia, mas ele é muito mais do que uma simples história que aponta o lado enlameado das religiões católicas e evangélicas seja em que tempo for: passado ou presente. De dia ou de noite, elas são todas iguais! Alguns dos fiéis em toda e qualquer religião carregam em seus corações a fé verdadeira, eles não possuem olhos ou sentimentos para outra coisa que não seja a fé na palavra de Deus! Enquanto outros! Preferem acreditar no poder do dinheiro!

 

A religião é assim: um pouco às claras e um pouco no escuro total! Não adianta falar e falar, só vai enxergar o lado escuro da religião os olhos que se acostumarem na escuridão sem se deixarem contaminar pelo atrativo do que está escondido no centro do breu oferecendo tentadoras vantagens de poder e riqueza!

 

ALUSÃO é um romance assim, complicado como a religião e para entendê-lo será necessário pelo menos uma pazada de conhecimentos, sem isto diga adeus ao entendimento da leitura!

 

ALUSÃO é a estreia de um novo modo de escrever histórias que se parecem regionais sem que sejam regionais: é o novo regionalismo! É isto que ALUSÃO é! O nascimento do novo regionalismo! É por isso que o romance é tudo isto.



LIVROS DO AUTOR:

 

Tudo em Nome da Juquira


Tudo em Nome da Juquira — Vol. I.


Tudo em Nome da Juquira — Vol. II.


Burburinho Perene.


À Revelia de Mim — Vol. I.


À Revelia de Mim  — Vol. II.


Ditadura Democrática, e Por Que Não?


Alusão — e o Conto Surpresa “Mazelas  de Caboclos Tolos”


Putsagrila — A Sanidade no Casulo — Vol. I.


Grilaputsa — A Sina do Vaqueiro Manco — Vol. I.







ALUSÃO um romance Lindo, Belo, Polêmico, Maravilhoso! Uma multidão entre a multidão dos acompanhantes do círio amam o romance ALUSÃO e o restante da multidão dos que não deixam a procissão do círio de lado não morrem de amores pelo romance ALUSÃO eles fazem restrições e o criticam com todas as suas forças de beatos! Beato é beato em qualquer lugar: aqui e no mundo!

 

Os mistérios e as revelações estão deixando atordoados os evangélicos e o povo que acompanha o círio!

 

A beleza da história está na ficção dela mesma, quando passa muito próximo arranhando a realidade do mundo das religiões. O mundo delas é um mundo toldado, pois elas se enlameiam a cada dia que passa.

 

Lucilla decepcionada com as falcatruas de seu pai Adir Soleira decide encarnar por uns tempos a vida de noviça no Convento “Sublime Decoro” e lá, ela encontra: a Madre Superiora e o Bispo derrubado, Dom Consente Bebeto, sofrido e passando por punições. Leia 8 páginas do Romance Alusão... ...





  







 

Tudo em Nome da Juquira I conta uma história de amor. Embalada na grandeza e na simplicidade do caboclo brasileiro; na esperteza e na lambança do político brasileiro; nas falcatruas e nos absurdos dos homens poderosos que se denominavam coronéis, neste Brasil que você acredita que conhece. Não conhece. O Brasil desta lindíssima história de amor Tudo em Nome da Juquira I, é um país desconhecido para muitos. Mostra como se mostrasse fraturas expostas: coisas, costumes e hábitos. O coronelismo desarraigado e as duas bandas do movimento dos sem-terra, a banda boa e a banda podre. Tudo em Nome da Juquira I revela o mistério dos nordestinos, que abandonavam a família no nordeste sem eira nem beira depois que chegavam à cidade de São Paulo dos sonhos deles.





Tudo em nome da Juquira II escancara para quem tiver o bom gosto de conferir a beleza e inocência da vida cabocla, através do terceiro elo do triângulo amoroso. Sirayama, a retirante que exala o aroma da juventude, na espreita de conquistar o coração do Thomaz, que fica encantado mediante a ascensão e generosidade da cabocla Sirayama, que tem o coração de ouro. O leitor também desvendará alguns nascedouros da corrupção política. Deputados e Juízes cada um mais corrupto do que o outro. A fidelidade canina de um matador profissional e uma sociedade secreta que abriga e instrui os profissionais do crime. A igreja corrompida, bichada por dentro, resultado da arte de padres estrangeiros com ideologias revolucionárias, que favoreciam sempre o lado: bondosos, caridosos, ávidos de justiça no sentido de invadir propriedade alheia, mas as propriedades deles, ninguém podia invadir, pois eles eram duros, quase monstruosos, usavam dois pesos e duas medidas.