Autores Maranhenses e Paraenses
A criatividade fala mais alto: valorização & divulgação das duas regiões
   Escritores Maranhenses e Paraenses      A Amazônia é importante, mas nem tanto
 Atualizado em quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

   

A AMAZÔNIA É IMPORTANTE, MAS NEM TANTO!

 

Aventemos um parâmetro de medição de importância e também algo da grandeza da nossa floresta que é queimada viva todos os dias logo após surgir os primeiros raios de sol. Pensem por alguns segundos, minutos! E por favor, os senhores ou as senhoras, apresentem qualquer coisa que vier em suas mentes e que ela seja grande, quase do tamanho da Amazônia! Ué? Vocês acharam o tempo insuficiente? Tudo bem! Ampliemos este tempo para 24 horas! Quando acabarem de identificar alguma coisa que seja parecida, mas que tenha a relevância ao menos aproximada desta Amazônia que é comida e incendiada o tempo todo! Avisem que continuaremos com a indagação.

 

O que foi que vocês disseram? Eu sinto ímpeto para desacreditar! Nenhum dos que estão nesta labutação conseguiu visualizar um ser de igual estatura! A verdade dói e ela é triste: eu procurei, mas não consegui! Neste caso vou me socorrer com uma figura decadente, que através dos anos se mostrou forte inabalável, na concepção dos grandes investidores do mundo! Mas, ela não era o que se esforçava para ser, faliu: a seguradora dos Estados Unidos! Sim, ela será a parceira da Amazônia nessa nossa pesquisa!

 

A parceria não parece justa, pois ela é infinitamente menor se considerarmos que povos e mais povos alardeiam em seus países de origem que a Amazônia é o pulmão do planeta! E a seguradora AIG foi por alguns anos o pulmão que respirou e deu ares novos para o orgulho dos endinheirados que investiram nela! Procuremos então outra comparação, talvez a idade. A nossa jovem senhora Amazônia excelente de pernas, cheia de vida, o tempo todo verde e viçosa! Mas por uma questão de vaidade de uma dama que merece o nosso respeito e consideração, não diremos a sua idade exata, insinuaremos apenas: algumas centenas de anos!  Partamos agora para revelar a sucessão dos anos de vida pelos quais a seguradora trilhou seguidamente! Não, ela não faz uso do direito de esconder a idade, porque ela tem orgulho de fazer parte de um grupo financeiro; e com isso ela não se parece em nada feminina. A idade dela é somente de 156 anos! Uma criança perto da Amazônia!

 

Analisemos então os efeitos negativos que serão provocados diante do desaparecimento de cada uma das parceiras, que estão tendo os seus prestígios avaliados no sentido de se descobrir, qual das duas merece ser salva diante do interesse e do benefício que ela representa para a humanidade! Os cientistas pessimistas e alarmistas afirmam com todas as letras, que se a Amazônia for destruída por meio de derrubadas e queimadas o efeito da destruição provocará o desaparecimento da água do planeta, que ficará tão quente que os humanos não suportarão a altíssima temperatura. E eles nunca se esquecem de acrescentar o derretimento das geleiras, que provocarão as enchentes dos oceanos e as inundações das imensas metrópoles mundiais ao redor do globo terrestre, que se alastrará ceifando milhões de vidas!

 

E no que diz respeito aos efeitos de devastação da falência do aglomerado financeiro americano! Os especialistas em finanças totalmente desprovidos de emoções fortes que pudessem pender para o lado dos controladores das bolsas ou para os que herdariam a massa falida! Eles não se desviaram nem mesmo para o grupo dos imbecis que se dizem ambientalistas! Os financistas disseram sem pedir segredos, que a quebradeira da companhia de seguros causaria prejuízo para uns poucos milhares de investidores, desemprego para outro tanto, perda de quatrocentos bilhões de dólares o equivalente a investimentos feitos pelos que controlavam o império financeiro! E para complementar acrescentaram, que a quebra do gigante dos seguros arrastará com ele, os demais bancos de investimentos e a credibilidade do sistema financeiro que os norte-americanos conquistaram através dos anos. Sem esquecer que ficará patente a incompetência dos executivos que arrotavam para o mundo deixando transparecer que eles eram os maiorais na área da economia!

 

Se nós puxarmos a brasa para debaixo da nossa sardinha, vamos querer gritar todos em uma só voz: preservemos a Amazônia, pois é ela que ajuda o planeta respirar! Não! Isso não! A verdade não deve ser escrita com aparências vãs! A Amazônia não é suficientemente merecedora de preservação, se para preservá-la for necessário bilhões de investimentos! Não é ela que fornece o ar que os homens poderosos e bilionários por este mundo afora respiram! O que os mantêm vivos cheios de vida e de propriedades é a distribuição e consumo de bens a níveis mundiais! O receio de ver os métodos de administração deles afundando, enfraquecidos produzindo pouco estímulo para suas vidas provocou a reunião dos líderes congressistas e o investimento de 180 bilhões de dólares feitos pelos seis maiores bancos centrais mundiais. Não fiquem martelando em suas cabeças algumas justificativas! Metade do que dizem sobre a Amazônia, não corresponde com a verdade, não tem valia! É fácil de perceber: o Brasil anda de pires na mão pedindo para as nações estrangeiras, dinheiro para investir na Amazônia! E só um entre todos, comoveu-se e deu a esmola de um bilhão de dólares! Fizeram tanta festa por causa da pequena espórtula, que deu a impressão que ela serviria para salvar o país da bancarrota! A mesma nação que esmolou o bilhão para a Amazônia entrou com 55 bilhões de dólares dos 180 investidos para salvar a quebradeira das bolsas! Ah! Antes que fique no esquecimento: foram investidos 80 bilhões de dólares para salvar a maleficentíssima Seguradora AIG! Diante da enormidade dos valores alocados para a salvação de cada uma das parceiras fica evidente em que direção os olhos dos poderosos e bilionários estão voltados! A Amazônia e a longevidade do planeta não fazem parte das preocupações deles!

 

Quem padece de inquietação verdadeira pela a Amazônia é o amazônida e ninguém mais! O povo brasileiro não pode constar na lista dos preocupados por causa dos seus hábitos negligentes e de suas características de valorizar o que é dos outros! As ações tímidas do Governo Federal alimentam dúvidas terríveis no quesito cuidado com a Amazônia, se ele estivesse apreensivo não colocaria um sujeito aloprado para ser um tipo de ministro designado para liberar licenças sem os devidos estudos ambientais de quem realmente entende da Amazônia! Um Brasil que tem 200 bilhões de reservas cambiais e bate recordes de arrecadação, não precisa se vestir de Lutero e bater na porta dos países ricos, para conseguir deixar a Amazônia em pé e evitar que os madeireiros e os agropecuaristas promovam o desaparecimento das árvores todos os dias de suas vidas!

 

 


Autor:

EDVAN BRANDÃO

Licenciatura Plena em Língua Portuguesa;

Professor de: Português, Literatura e Redação;

Jornalista e Escritor Ficcionista;

E-mail: edvan.brandao@gmail.com

           edvan_brandao@hotmail.com

Cel: 91 98360 – 1718

Escrito na sexta-feira, 24 de julho de 2009.